domingo, 10 de janeiro de 2016

Papa: Nem todo amor vem de Deus, mas Deus é “verdadeiro amor”

OSSROM91819_ArticoloNem todo amor vem de Deus, mas Deus é “verdadeiro amor”. Este pensamento, contido na liturgia do dia, inspirou a homilia do Papa Francisco na missa celebrada na manhã de sexta-feira (08/01) na Casa Santa Marta.
Amor e compaixão: Deus e o homem entendem esses sentimentos de modo diferente. Na sua primeira Carta, observou o Papa, o Apóstolo João faz uma longa reflexão sobre dois mandamentos principais da vida de fé: o amor de Deus e o amor ao próximo. Por si só, o amor é “belo, amar é belo”, garantiu o Pontífice, e todavia um amor sincero “se fortalece e cresce no dom da própria vida”:
“Esta palavra ‘amor’ se usa tantas vezes e, quando usada, não se sabe o que significa exatamente. Que é o amor? Às vezes pensamos no amor das novelas, não, aquilo não parece amor. Ou o amor pode parecer um entusiasmo por uma pessoa e depois…se apaga. De onde vem o verdadeiro amor? Quem ama foi gerado por Deus, porque Deus é amor. Não diz: “Todo amor é Deus”, não: Deus é amor”.
João destaca uma característica do amor de Deus: ama “por primeiro”. A prova disso é a narração no Evangelho da multiplicação dos pães, proposta pela liturgia: Jesus olha para a multidão e sente “compaixão”, o que – explicou Francisco – “não é a mesma coisa que sentir pena”. Porque o amor que Jesus nutre pelas pessoas que o circundam “o leva a ‘sofrer com elas, a se envolver na vida das pessoas – prosseguiu o Papa. E este amor de Deus é exemplificado de inúmeras formas, e Francisco cita Zaqueu, Natanael e o filho pródigo:
“Quando temos alguma coisa no coração e queremos pedir perdão ao Senhor, é Ele que nos espera para nos dar o perdão. Este Ano da Misericórdia recorda um pouco isso também: que nós sabemos que o Senhor está nos aguardando, a cada um de nós. Por que? Para nos abraçar. Nada de mais. Para dizer: filho, filha, te amo. Deixei que crucificassem meu Filho para ti; este é o preço do meu amor; este é o presente de amor”.
“O Senhor me espera, o Senhor quer que eu abra a porta de meu coração”: esta certeza, insiste Francisco, precisamos tê-la “sempre”. E se surgir uma dúvida se nos sentimos dignos do amor de Deus, é melhor – exclama o Papa – porque Ele te espera assim como tu és, não como te dizem “que precisa fazer”:
“Ir ao Senhor e dizer: ‘Mas tu sabes, Senhor, que te amo’. Ou senão, posso dizer assim: ‘Sabes, Senhor, que eu gostaria de te amar, mas sou muito pecador, muito pecadora”. E Ele fará o mesmo que fez com o filho pródigo, que gastou todo o dinheiro em vícios: nem te deixará acabar a frase, e com um abraço te calará. O abraço do amor de Deus”.
Por Rádio Vaticano

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Um ano de esperança

Entramos no novo ano, e certamente com novas esperanças, novos objetivos, novos sonhos. Deixamos para traz um ano certamente não fácil, seja para nós brasileiros, mas em geral para todo o mundo. Enfrentamos e continuamos a enfrentar crises, sejam elas, econômicas – como o caso do Brasil -, políticas e sociais; crises de valores e de imposição religiosa que levaram milhares de pessoas a abandonar suas casas e países para fugir da violência e da perseguição, de quem deseja sufocar a fé.
Sim, foi um ano difícil para a humanidade, sedenta de paz, mas cheia de esperança. Nós católicos tivemos tantos momentos felizes, com o nosso Papa Francisco, mas também preocupantes, com escândalos que atingiram a Igreja e o Vaticano. Tivemos e continuamos a ter uma dor no coração, com a perseguição de nossos irmãos cristãos, em várias partes do mundo. Pelo simples fato ser cristão, já que o ódio se sobrepõem à vida, muitos padecem o horror da violência, chegando inclusive à morte.
Tivemos também momentos importantes no Vaticano como as viagens internacionais do Papa, com a confirmação de nossos irmãos na fé: o Sínodo dos Bispos dedicado à Família e a Abertura do Ano Santo Extraordinário da Misericórdia.
A XIV Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, que se realizou entre os dias 4 e 25 de outubro, teve com o tema: “A vocação e a missão da família na igreja e no mundo contemporâneo”. O tema “família” há muito tem sido aprofundado pela Igreja. Recordamos as palavras proféticas do Papa São João Paulo II: “o futuro da humanidade passa pela família”. Estamos em um momento histórico para o destino da humanidade e a grande questão tem sido a família. As discussões são enormes e apaixonadas. Mesmo no interior da Igreja se sente a tensão de ideias e ideologias.
O Sínodo deixou um grande fruto de uma renovada atenção em relação à família: não dá para deixar a família se perder. Ela é um bem precioso para a humanidade, para a pessoa, para a comunidade humana. Agora aguardamos a Exortação Pós-Sinodal do Papa Francisco sobre a família.
Depois a convocação do Jubileu, uma convocação que mexeu com a Igreja no mundo inteiro. Francisco ao anunciar ao mundo a realização do Ano Santo extraordinário, deu a demonstração da sua extraordinária sensibilidade para com o momento em que vive a humanidade. Ele está consciente de oferecer ao mundo uma possibilidade única: isto é, experimentar a Misericórdia de Deus. E as Portas Santas não foram abertas somente em Roma, mas em todas as dioceses do mundo, o que indica o desejo do Santo Padre de estender a todos – a todos! – a possibilidade de usufruir dos benefícios que o Ano Santo deve trazer.
Como disse à Rádio Vaticano o Arcebispo Angelo Becciu, Substituto da Secretaria de Estado, Francisco não está preocupado pelas multidões oceânicas em Roma, mas está preocupado que cada um possa ter a maneira e a facilidade de experimentar a bondade, o amor misericordioso de Deus. Pudemos notar isso na abertura da primeira Porta Santa em Bangui, capital da República Centro-africana. Naquele gesto a predileção do Papa por aquele povo, e por tantos povos que sofrem os horrores de guerras fratricidas.
Uma porta simples em uma catedral também simples quis ser um grito, uma invocação a Deus Pai para que conceda a paz a este povo e outros povos que tem direito de viver em paz.
Agora toca a nós vivermos esse tempo de graça e esperança. Um Feliz Ano Novo para você.
REUTERS1185127_Articolo
Por Silvonei José, da Rádio Vaticano
Notícias Católicas.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Jesus nos defende do mal, do diabo, que está sempre à espreita

A vocação e a alegria de todo batizado é indicar e dar Jesus aos outros, mas para fazer isso devemos conhecê-lo e tê-lo dentro de nós, como Senhor da nossa vida: foi o que disse o Papa Francisco na alocução que precedeu o Angelus deste primeiro domingo do novo ano.
Francisco destacou que a liturgia do segundo domingo depois do Natal nos apresenta o prólogo de São João, ressaltando que o Verbo que se fez carne veio habitar no meio de nós a fim de que escutássemos e pudéssemos conhecer e experimentar o amor do Pai. “O Verbo de Deus é seu próprio Filho Unigênito, feito homem, repleto de amor e de fidelidade”, acrescentou.
A Palavra é luz e, no entanto, os homens preferiram as trevas; a Palavra veio entre os seus, mas eles não acolheram, observou o Santo Padre referindo-se ao Evangelho dominical. “Fecharam a porta diante do Filho de Deus”, acrescentou.
“É o mistério do mal que insidia também a nossa vida e que requer de nossa parte vigilância e atenção para que não prevaleça. O Livro do Gênesis diz uma bela frase que nos ajuda a entender isso: diz que o mal está à espreita diante da nossa porta (cfr. 4,7). Ai de nós se o deixamos entrar; seria então ele a fechar a nossa porta a qualquer outro. Ao invés, somos chamados a escancarar a porta do nosso coração à Palavra de Deus, a Jesus, para tornar-nos assim seus filhos.”
Em seguida, o Papa frisou que com a liturgia do segundo domingo depois do Natal a Igreja nos convida mais uma vez a acolher essa Palavra de salvação, esse mistério de luz. “Se o acolhemos, se acolhermos Jesus – acrescentou –, cresceremos no conhecimento e no amor do Senhor, aprenderemos a ser misericordiosos como Ele.
“Especialmente neste Ano Santo da Misericórdia, façamos de modo que o Evangelho se torne sempre mais carne também em nossa vida. Tomar o Evangelho, meditá-lo, encarná-lo em nossa vida cotidiana é o melhor modo para conhecer Jesus e levá-lo aos outros.”
“Jesus nos defende do mal, do diabo, que sempre está à espreita diante da nossa porta, diante do nosso coração, e quer entrar”, reiterou Francisco.
Após a oração mariana, o Santo Padre quis renovar a todos seus votos de paz e bem no Senhor. “Nos momentos alegres e nos momentos tristes, confiemo-nos a Ele, que é a nossa misericórdia e nossa esperança!” – foi a exortação do Papa.
Antes de concluir, o Pontífice recordou o compromisso assumido no Ano Novo, Dia Mundial da Paz: “Vence a indiferença e conquista a paz”; com a graça de Deus, poderemos colocá-lo em prática, acrescentou.
1764814_ArticoloO Papa Francisco concluiu recordando um conselho por ele dado reiteradas vezes:
“Todos os dias ler um trecho do Evangelho, uma passagem do Evangelho para conhecer melhor Jesus, para escancarar o nosso coração a Ele, e assim poderemos fazer com que os outros o conheçam melhor. Carregar consigo um pequeno Evangelho no bolso, na bolsa, nos fará bem. Não se esqueçam: todos os dias leiamos uma passagem do Evangelho.”
Por fim, a todos desejando um bom domingo, Francisco pediu que não se esquecessem de rezar por ele.
Por Rádio Vaticano e Notícias Católicas.

domingo, 3 de janeiro de 2016

Como Rezar o Rosário.

ORIGEM DO TERÇO
A origem do terço é muito antiga. Remonta aos anacoretas orientais que usavam pedrinhas para contar suas orações vocais. Em 1328, segundo a Tenda, Nossa Senhora apareceu a São Domingos, recomendando-lhe a reza do Rosário para a salvação do mundo.
Nasceu assim a devoção do Rosário, que significa coroa de rosas oferecidas a Nossa Senhora. Os promotores e também divulgadores desta devoção foram os Dominicanos, que também criaram as Confrarias do Rosário.
O papa dominicano Pio V animou vivamente a prática da recitação do Rosário, que, em breve, se tornou a oração popular predileta da cristandade. Esta devoção tem o privilégio de ter sido recomendada por Nossa Senhora em Lourdes, na França, em Fátima, Portugal e em Medjugorje, o que depõe em favor de sua validade em todos os tempos.
O terço pode ser rezado individual ou coletivamente. O terço é uma das mais queridas devoções a Nossa Senhora. Aparecendo em Fátima, ela pediu aos pastorzinhos: “Meus filhos, rezem o terço todos os dias”.
terco1
O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios – denominados Terço – e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são: Gozosos, Dolorosos, Gloriosos e os Mistérios de Luz.

Com a mão direita aberta, faça com o dedo polegar uma pequena cruz na testa, outra nos lábios e outra no peito enquanto reza:
PELO SINAL da Santa Cruz, livrai-nos, Deus, Nosso Senhor, dos nossos inimigos.
Ainda com a mão direita aberta, faça uma grande Cruz, tocando com as pontas dos dedos na testa, no peito, no ombro esquerdo e no ombro direito enquanto diz:
EM NOME DO PAI, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.
como_reza_terco
6482_556433274403391_276203343_n
ORAÇÃO PREPARATÓRIA
VINDE ESPÍRITO SANTO, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso Amor. Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado. E renovareis a face da terra.
Oremos: Deus que instruístes os corações de vossos fiéis com a Luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo espírito e gozemos sempre de sua consolação. Por Cristo, Senhor Nosso. Amém.
OFERECIMENTO DO TERÇO
Divino Jesus, nós vos oferecemos este Rosário que vamos rezar, meditando nos mistérios da nossa Redenção. Concedei-nos, por intercessão da Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, as virtudes que nos são necessárias para bem rezá-lo e a graça de ganharmos as indulgências desta santa devoção.
Oferecemos, particularmente, em desagravo dos pecados cometidos contra o Santíssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria, pela paz do mundo, pela Santa Igreja, pela santificação das famílias, (intenções que se quer incluir no Rosário).
Segurando a Cruzinha do Terço, reze:
CREIO EM DEUS PAI Todo-poderoso, Criador do céu e da terra e em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai Todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos; creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne e na vida eterna. Amém.
Homenagem à Santíssima Trindade (Em homenagem à Santíssima Trindade, reza-se um Pai-Nosso, três Ave-Marias e um Glória-ao-Pai; a primeira Ave-Maria em honra a Deus Pai que nos criou; a segunda, a Deus Filho que nos redimiu; a terceira, ao Espírito Santo que nos santifica.)
Portanto, na primeira conta grande, reza-se:
PAI NOSSO, que estais nos céus, santificado seja o Vosso nome, venha a nós o Vosso reino, seja feita a Vossa vontade, assim na terra como no céu. O PÃO NOSSO de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.
Em cada uma das 3 contas pequenas, reza-se:
AVE MARIA, cheia de graça, o Senhor é Convosco; bendita sois vós entre as mulheres, e bendito é o Fruto do Vosso ventre, Jesus. SANTA MARIA, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores,agora e na hora de nossa morte./ Amém.
No intervalo entre estas 3 contas e a próxima conta grande, reza-se:
GLÓRIA AO PAI, ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém.
Ó MEU JESUS, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Obs: A jaculatória a ser intercalada entre as dezenas do Rosário, após o Glória é:
“Ó meu Jesus perdoai-nos livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o Céu e socorrei principalmente as que mais precisarem e abençoai o santo Padre o Papa, todos os bispos e sacerdotes e todo o povo de Deus, abençoai e santificai as nossas famílias e dai-nos a vossa paz.Sagrado Coração de Jesus, providenciai!”
MISTÉRIOS GOZOSOS ( Segundas e Sábados)
1º- A anunciação do Arcanjo São Gabriel a Nossa Senhora (LC. 1,26-38) 
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
2º- A Visitação de Nossa Senhora à sua prima Santa Isabel (LC 1,39-56)
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
3º- O nascimento do Menino Jesus em Belém. (Lc. 2,1-20) 
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
4º- Apresentação de Jesus no templo
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
5º- O Encontro de Jesus no Templo entre os doutores da Lei. (Lc.2,41-50)
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
MISTÉRIOS LUMINOSOS(Quinta-feira)
1º- O Batismo do Senhor Jesus no Rio Jordão (Mt. 3,13-17)
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
2º- O primeiro milagre nas Bodas de Cana, a pedido de Sua mãe, transforma água em vinho (Jo 2,1-12)
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
3º- O anúncio do Reino de Deus e o convite à conversão (Mc 1,15; Mac2, 3-13; Lc 7,47-48; Jo20 22-23)
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
4º- A transfiguração do Senhor Jesus no monte Tabor. ( Lc 9, 28-36):. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
5º- A instituição da Santíssima Eucaristia. ( Jô 13,1)
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
MISTÉRIOS DOLOROSOS ( Terça e Sexta-feira)
1º- A agonia de Jesus no Horto das Oliveiras (Lc 22,39-46)
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
2º- A Sangrenta flagelação de Nosso Senhor Jesus Cristo (Mt 27,26)
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
3º- A coroação de espinhos. (Mt 27,27-31)
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
4º- A subida dolorosa ao Calvário. (Lc 23,26-32)
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
5º- A Crucificação e Morte de Jesus. (Lc 23,33-45)
:Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
MISTÉRIOS GLORIOSOS( Quarta-feira e Domingos)
1º- A Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. (Lc 24)
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
2º- A Ascensão admirável de Jesus Cristo ao Céu (Lc 24,51-52)
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
3º- A Vinda do espírito Santo sobre a Virgem Maria e os Apóstolos (At.2,1-13)
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
4º- A Assunção de Nossa Senhora ao Céu.
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
5º- A Coroação de Nossa Senhora como Rainha do Céu e da Terra (Ap 12,1)
:. Rezar: 1 Padre Nosso; 10 Aves Maria; Glória; Jaculatória.
____________________________________________________________________________________________
AGRADECIMENTO:
“Infinitas Graças Vos damos, soberana Rainha, pelos benefícios que todos os dias recebemos de Vossas Mãos Liberais.Dignai-Vos, agora e sempre, tomar-nos debaixo de Vosso poderoso amparo e, para mais Vos obrigar, Vos saudamos com uma Salve Rainha”
Salve Rainha
Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos, os degredados filhos de Eva; a vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei; e depois deste desterro nos mostrai Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce sempre Virgem Maria.
V/. Rogai por nós, santa Mãe de Deus,
R/. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Oração Final
D.rogai por nós, Santa mãe de Deus,
R.Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Curiosidade: Como surgiu o Presépio?

O presépio é talvez a mais antiga forma de caracterização do Natal. Sabe-se que foi São Francisco de Assis, na cidade italiana de Greccio, em 1223, o primeiro a usar a manjedoura com figuras esculpidas formando um presépio, tal qual o conhecemos hoje. A idéia surgiu enquanto o santo lia, numa de suas longas noites dedicadas à oração, um trecho de São Lucas que lembrava o nascimento de Cristo. Resolveu então montá-lo em tamanho natural, em uma gruta de sua cidade. O que restou desse presépio encontra-se atualmente na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma. 

Presépio significa em hebraico "a manjedoura dos animais", mas a palavra é usada com freqüência para indicar o próprio estábulo. Jesus ao nascer foi reclinado em um presépio que provavelmente seria urna manjedoura, como as muitas que existiam nas grutas naturais da Palestina, utilizadas para recolher animais. Outra versão é que o presépio de Jesus era feito de barro, aproveitando-se uma saliência da rocha e adaptando-a para tal finalidade. Esta é, sem dúvida, a versão mais aceita.

O presépio de São Francisco incluía uma manjedoura, acima da qual foi improvisado um altar. Nesse cenário ocorreu a missa da meia-noite, na qual o próprio santo com a vestimenta de diácono cantou o Evangelho juntamente com o povo simples e pronunciou um sermão sobre o nascimento do Menino Jesus.

Conta-se que naquela noite especial, enquanto o santo proferia as palavras do Evangelho sobre o nascimento do Menino Jesus, todos os presentes puderam ver uma criança em seu colo, envolvida em um raio de luz. A cena foi narrada em 1229 por Tommaso da Celano, biógrafo de São Francisco de Assis. Desde então, os presépios foram se tornando cada vez mais populares e, além das figuras tradicionais do Menino Jesus deitado na manjedoura, Maria e José, acabaram incluindo uma enorme variedade de personagens como os pastores, os Reis Magos, a estrela e os animais.

No Brasil, em muitos estados do Nordeste, até hoje a montagem dos presépios é acompanhada de danças e festejos conhecidos como Pastorinhas, versões brasileiras dos autos de Natal, que eram encenações do nascimento de Jesus típicas de algumas regiões da Europa, como a Provença, na França.

sábado, 2 de janeiro de 2016

Padre Fábio de Melo e Celina Borges - Tudo Posso (DVD Eu e o Tempo)


"Tudo posso Naquele que me fortalece
Nada e ninguém no mundo vai me fazer desistir."

LITURGIA DIÁRIA 03/01/2016 - Epifania do Senhor

1ª Leitura - Is 60, 1-6

Apareceu sobre ti a gloria do Senhor.
Leitura do Livro do Profeta Isaías 60, 1-6
1Levanta-te, acende as luzes, Jerusalém, porque chegoua tua luz, apareceu sobre ti a glória do Senhor.2Eis que está a terra envolvida em trevas,e nuvens escuras cobrem os povos;mas sobre ti apareceu o Senhor, e sua glória já se manifesta sobre ti.3Os povos caminham à tua luze os reis ao clarão de tua aurora.4Levanta os olhos ao redor e vê:todos se reuniram e vieram a ti;teus filhos vêm chegando de longecom tuas filhas, carregadas nos braços.5Ao vê-los, ficarás radiante,com o coração vibrando e batendo forte,pois com eles virão as riquezas de além-mare mostrarão o poderio de suas nações;6será uma inundação de camelose dromedários de Madiã e Efa a te cobrir;virão todos os de Sabá, trazendo ouro e incensoe proclamando a glória do Senhor.Palavra do Senhor.



Salmo - Sl 71, 1-2.7-8.10-11.12-13 (R. Cf.11)

R. As nações de toda a terra, hão de adorar-vos ó Senhor!

1Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus,*vossa justiça ao descendente da realeza!2Com justiça ele governe o vosso povo,*com eqüidade ele julgue os vossos pobres. R.
7Nos seus dias a justiça florirá*e grande paz, até que a lua perca o brilho!8De mar a mar estenderá o seu domínio,*e desde o rio até os confins de toda a terra! R.
10Os reis de Társis e das ilhas hão de vir*e oferecer-lhes seus presentes e seus dons;e também os reis de Seba e de Sabá*hão de trazer-lhe oferendas e tributos.11Os reis de toda a terra hão de adorá-lo,*e todas as nações hão de servi-lo.R.
12Libertará o indigente que suplica,*e o pobre ao qual ninguém quer ajudar.13Terá pena do indigente e do infeliz,*e a vida dos humildes salvará. R.


2ª Leitura - Ef 3,2-3a.5-6

Agora foi-nos revelado que os
pagãos são coherdeiros das promessas.
Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios 3,2-3a.5-6
Irmãos:2Se ao menos soubésseis da graça que Deus me concedeupara realizar o seu plano a vosso respeito,3ae como, por revelação, tive conhecimento do mistério.5Este mistério, Deus não o fez conheceraos homens das gerações passadasmas acaba de o revelar agora, pelo Espírito,aos seus santos apóstolos e profetas:6os pagãos são admitidos à mesma herança,são membros do corpo,são associados à mesma promessa em Jesus Cristo,por meio do Evangelho.Palavra do Senhor.


Evangelho - Mt 2,1-12

Viemos do Oriente adorar o Rei.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 2,1-12
1Tendo nascido Jesus na cidade de Belém, na Judéia,no tempo do rei Herodes,eis que alguns magos do Oriente chegaram a Jerusalém,2perguntando:'Onde está o rei dos judeus, que acaba de nascer?Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo.'3Ao saber disso, o rei Herodes ficou perturbadoassim como toda a cidade de Jerusalém.4Reunindo todos os sumos sacerdotes e os mestres da Lei,perguntava-lhes onde o Messias deveria nascer.5Eles responderam: 'Em Belém, na Judéia,pois assim foi escrito pelo profeta:6E tu, Belém, terra de Judá, de modo algumés a menor entre as principais cidades de Judá,porque de ti sairá um chefeque vai ser o pastor de Israel, o meu povo.'7Então Herodes chamou em segredo os magose procurou saber deles cuidadosamentequando a estrela tinha aparecido.8Depois os enviou a Belém, dizendo: 'Ide e procuraiobter informações exatas sobre o menino.E, quando o encontrardes, avisai-me,para que também eu vá adorá-lo.'9Depois que ouviram o rei, eles partiram.E a estrela, que tinham visto no Oriente, ia adiantedeles, até parar sobre o lugar onde estava o menino.10Ao verem de novo a estrela,os magos sentiram uma alegria muito grande.11Quando entraram na casa,viram o menino com Maria, sua mãe.Ajoelharam-se diante dele, e o adoraram.Depois abriram seus cofrese lhe ofereceram presentes: ouro, incenso e mirra.12Avisados em sonho para não voltarem a Herodes,retornaram para a sua terra, seguindo outro caminho.Palavra da Salvação.


Fonte: CNBB.





Padre Fábio de Melo - Humano Amor de Deus (DVD Eu e o Tempo)


Ouçamos essa linda canção.

Como rezar o Terço da Misericórdia


Pai Nosso.
Pai nosso, que estais no céu, santificado seja o Vosso nome, venha a nós o Vosso Reino, seja feita a Vossa vontade, assim na terra como é no céu. O pão nosso de cada dia, nos dai hoje, perdoai as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal, Amém.
Ave-Maria.
Ave-Maria cheia de graças, o Senhor é convosco, bendita sois Vós entre as mulheres, e bendito é o fruto do Vosso ventre, Jesus. Santa Maria Mãe de Deus e nossa Mãe, rogai por nós os pecadores, agora e na hora de nossa morte, amém.
Creio.
Creio em um só Deus, Pai todo poderoso, Criador do Céu e da terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, JESUS CRISTO, Filho Unigênito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, luz de luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; gerado, não criado, consubstancial ao Pai. Por ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação desceu dos Céus. E se encarnou pelo ESPÍRITO SANTO, no seio da Virgem MARIA e se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as escrituras; e subiu aos Céus, onde está sentado à direita do PAI. De novo há de vir em Sua Glória, para julgar os vivos e os mortos; e o Seu Reino não terá fim. Creio no ESPÍRITO SANTO, Senhor que dá a vida, e procede do PAI. Com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: ELE que falou pelos profetas. Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo para a remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos, e a vida do mundo que há de vir. Amém.
A seguir, nas contas grandes (do Pai-Nosso), rezamos:
Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e o Sangue, a Alma e a Divindade do Vosso Diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos do mundo inteiro.
Nas contas pequenas (da Ave-Maria), rezamos:
Pela Sua dolorosa Paixão; tende misericórdia de nós e do mundo inteiro (10 vezes).
Depois diga: Ó Sangue e Água que jorrastes do Coração de Jesus, como fonte de misericórdia para nós, eu confio em Vós
E no final do terço rezamos três vezes:
Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro.

“O bem vence sempre, mesmo que pareça frágil”, diz Papa

Na tarde deste 31 de dezembro, último dia de 2015, o Papa Francisco presidiu na Basílica de São Pedro às Vésperas da Solenidade de Maria Santíssima Mãe de Deus, com o canto do Te Deum e a Bênção do Santíssimo Sacramento. Na homilia, Francisco recordou que “em muitas ocasiões a Igreja sente a alegria e o dever de elevar seu canto a Deus com estas palavras de louvor, que desde o quarto século acompanham a oração nos momentos importantes de sua peregrinação terrena”.
O Papa recordou que sentimos em nosso coração um desejo quase que espontâneo de agradecer a Deus, em reconhecimento à sua presença amorosa “nos eventos de nossa história”. No entanto – observou – “sentimos que a nossa voz não é suficiente na oração. Ela precisa se reforçar com a companhia de todo o povo de Deus, que uníssono, faz ouvir o seu canto de agradecimento”:
“Por isso, no Teu Deum pedimos a ajuda aos Anjos, aos Profetas e à toda a criação para louvar ao Senhor. Com este hino, revemos a história da salvação onde, por um misterioso desígnio de Deus, encontram lugar e síntese muitos episódios de nossa vida deste ano que passou”.
Ao referir-se ao Ano jubilar, Francisco recordou que “a companhia da misericórdia é luz para compreender melhor o que vivemos; e esperança que nos acompanha no início de um ano novo”:
“Repassar os dias do ano que passou pode ser feito ou como uma recordação dos fatos e acontecimentos que levam a momentos de alegria e de dor, ou procurando compreender se percebemos a presença de Deus que tudo renova e ampara com sua ajuda. Somos interpelados a verificar se os acontecimentos do mundo se realizaram segundo a vontade de Deus ou se demos ouvidos prevalentemente aos projetos dos homens, quase sempre repletos de interesses privados, de uma insaciável sede de poder e da violência gratuita”.
O Papa reiterou que hoje, no entanto, “os nossos olhos têm necessidade de focalizar de modo particular os sinais que Deus nos concedeu, para tocar com nossas mãos a força de seu amor misericordioso”, recordando a “violência, morte e sofrimentos inenarráveis de inocentes, refugiados obrigados a deixar seus países, homens, mulheres e crianças sem residência estável, alimento e sustento”, que mancharam muitos dias. Mas também recordou os sinais de amor:
“Quantos gestos de bondade, de amor e de solidariedade preencheram os dias deste ano, mesmo se não foram manchete nos noticiários! As coisas boas não são notícia. Quantos sinais de amor não podem e não devem ser obscurecidos pela prepotência do mal. O bem vence sempre, embora em alguns momentos possa parecer frágil e velado”.
Pope
Aos habitantes da Cidade Eterna, o Bispo de Roma lançou um apelo a superarem “as dificuldades do momento presente. Que o compromisso para recuperar os valores fundamentais de serviço, honestidade e solidariedade permita resolver as graves incertezas que dominaram o cenário deste ano e que são sintomas da escassa dedicação ao bem comum”, pedindo “que nunca falte a contribuição positiva do testemunho cristão para consentir a Roma, segundo a sua história, e com a materna intercessão de Maria Salus Populi Romani, de ser intérprete privilegiada de fé, de acolhimento, fraternidade e paz”.
Ao final da cerimônia, após um momento de adoração, o Santo Padre abençoou a assembleia com o Santíssimo Sacramento.
Minutos após, o Papa Francisco deixou a Basílica e dirigiu-se à Praça São Pedro. Ao som da banda da Guarda Suiça que entoava, entre outros, o Noite Feliz, o Pontífice visitou o Presépio, onde se deteve em oração silenciosa por alguns minutos. Após, subiu as escadas para conhecer mais de perto alguns personagens. Chamou-lhe a atenção, em particular, a cena que representa o Bom Samaritano que acolhe uma pessoa em dificuldade. Desde sua chegada na Praça ao final de tarde, com uma temperatura por volta dos 8º C, Francisco foi efusivamente saudado pelas centenas de fieis e turistas presentes.
Por Notícias Católicas.
http://www.noticiascatolicas.com.br